sábado, 24 de setembro de 2016

Cheescake de amora

O marido chega em casa com uma porção de amoras congeladas e me diz que é para eu preparar as minhas receitas =}. Logo decidi pela cheescake.
Mas qual versão? Escolhi a receita que usava na minha confeitaria. Tanto a massa quanto o recheio são assados. Ficou gostosa, mas a massa estava muito grossa - me atrapalhei e fiz o dobro da receita =\.
No conjunto da obra obtive um bom resultado. Quem comeu gostou!

Massa
120g de farinha de trigo
35g de açúcar
1 pitada de sal
raspas de limão
40g de manteiga gelada em cubos
1 ovo
1 clara batida para pincelar
Misture a farinha, o açúcar, o sal e as raspas de limão. Adicione a manteiga em cubos misturando-a com farinha até formar uma farofa. Adicione o ovo e mexa até ficar úmida. Forre as formas. Perfure a massa com um garfo e leve para pré-assar. Retire do forno e deixe esfriar completamente.

Recheio
300g cream cheese em temperatura ambiente
150g de açúcar refinado
essência de baunilha
1 ovo
1 gema em temperatura ambiente
120g de creme azedo (120g de creme de leite fresco + 15g de sumo de limão)

Cobertura
150g de açúcar 
450g de amora congelada
1 colher de sopa de limão e meia xícara de água.

Creme azedo
Aqueça o creme de leite em banho-maria até atingir 50oC. Adicione o sumo de limão e misture bem. Desligue o fogo e deixe esfriar em local aquecido. Conserve na geladeira por até 12 horas.

Recheio
Bata o cream cheese na batedeira utilizando a raquete. Adicione o açúcar aos poucos. Sem parar de bater, acrescente a baunilha, o ovo e a gema. Diminua a velocidade, adicione o creme azedo e bata apenas para incorporar tudo. Antes de despejar na massa, pincele clara batida para impermeabilizar a massa. Leve para assar. Retire do forno e deixe esfriar completamente e adicione a cobertura.

Cobertura
Leve todos os ingredientes ao fogo e deixe apurar até a consistência de geleia.

domingo, 18 de setembro de 2016

Receita de família {Bolo de abacaxi com coco}



 

Uma das coisas mais felizes da minha infância, sem dúvida, foi ter tido uma mãe que cozinhava maravilhosamente bem. Lembro claramente de assistir à Cozinha Maravilhosa da Ofélia com ela, dos seus livros e cadernos de receitas, dos utensílios de cozinha e de acompanhá-la aos cursos de culinária, e ficar esperando do lado de fora para não fazer bagunça.

A receita deste bolo, entretanto, me foi passada por telefone por uma tia muito querida de São Paulo nos idos dos meus dezoito anos. Minha mãe havia morrido uns seis anos antes e meu pai, meu irmão e eu mudáramos para Sergipe.

A tia Quita sempre me dava dicas e receitas quando nos telefonávamos. Esse era um bolo de aniversário delicioso que minha mãe e as irmãs sempre faziam. E agora eu queria fazer para meu pai, meu irmão e para mim. Era como se minha mãe também viesse à festa.

E assim, quase todo aniversário lá em casa tinha bolo de abacaxi com coco. Era o maior sucesso, então passei a prepará-lo para outras festas da família. Tinha fila para o bolo e fila para repetir o pedaço. Foi apelidado "delícia de abacaxi". Pediam a receita. Era um orgulho para mim!

Acabou virando uma inspiração, que me deu coragem para aceitar encomendas paralelas ao meu emprego. Começaram a chegar pedidos de outros recheios e massas e fui fazendo. Foi daí que veio a confeitaria Casa da Gabriela. Hoje não aceito mais encomendas, mas continuo preparando o bolo de abacaxi com coco, que nunca vai sair do cardápio da família.
 
MASSA
6 ovos em temperatura ambiente
9 a 11 colheres (sopa) de água
1,5 xícara (chá) de açúcar
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó
Quanto baste de baunilha (se conseguir a fava mesmo será perfeito)

Separe as claras da gema, bata em ponto de neve e reserve. Bata as gemas com a água. A quantidade de água depende do tamanho das gemas, se forem muito grandes use as 11 colheres. Do contrário, 9 colheres de água bastam. Quando a mistura dobrar de volume e ficar esbranquiçada, acrescente o açúcar aos poucos ainda com a batedeira ligada. Assim que a massa estiver homogênea, desligue a batedeira e despeje metade da farinha. Ligue em velocidade baixa para misturar. Desligue a batedeira e despeje o restante da farinha. Bata mais um pouco. Fora da batedeira, acrescente o fermento à massa e misture com uma espátula. Em seguida, envolva as claras em neve nessa mistura. Faça isso em três etapas, acrescentando por partes a clara em neve e misturando de baixo para cima, com delicadeza, para não perder a "fofura" das claras. Despeje numa forma média já untada e enfarinhada e leve ao fogo médio por 40 minutos. Observe se a massa soltou-se da borda da forma, é um sinal de que já está assada.

CREME DE BAUNILHA
1 l de leite
1 lata de leite condensado
4 colheres de amido de milho
2 gemas
Quanto baste de baunilha
1 lata de creme de leite
100g de coco ralado para finalizar a cobertura 

Dissolva o amido de milho em um pouco de leite. Tire a pele que envolve a gema furando com um palito, é ela que deixa aquele cheiro característico - e enjoado - de ovo. Misture o restante dos ingredientes numa panela, exceto o creme de leite, e leve ao fogo. Mexa sem parar até chegar à consistência de mingau grosso. Quanto mais tempo no fogo, mais consistente fica. Desligue e deixe amornar para, então, acrescentar o creme de leite. Leve à geladeira até a hora de usar.

ABACAXI EM CALDA
1 abacaxi grande, sem casca, cortado em cubinhos
5 xícaras (chá) de água
1 xícara (chá) de açúcar

Leve todos os ingredientes ao fogo. Quando começar a ferver, conte 20 minutos e desligue. Deixe esfriar.

MONTAGEM
Corte o bolo em três discos. Umedeça os discos com a calda do abacaxi. Disponha um dos discos da massa numa boleira, cubra com um pouco do creme. Espalhe metade do abacaxi escorrido, cubra com mais um pouco do creme. Coloque o segundo disco e repita a sequência primeiro recheio. Coloque o último disco e cubra todo o bolo com o restante do creme de baunilha. Finalize polvilhando o coco ralado por cima e também nas laterais. Leve à geladeira até o momento de servir.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Cuscuz marroquino, omelete e suco


Com um pouco de inspiração um jantarzinho trivial ganha um toque diferente. Final do final de semana, e não tinha farinha de milho nem pão o suficiente em casa. Mas tinha ovo, blanquet de peru, tomate e cuscuz... marroquino. Por que não?

O marido e a caçula gripados, escolhi o maior dente de alho que tinha em casa e tasquei na manteiga com maçã picadinha, páprica e açafrão da terra. Esse foi o tempero do cuscuz, adicionado ainda de sal e pimenta.

Para a omelete, ovos (!), blanquet e tomate (sem semente) picados, sal e pimenta. Preparei algumas torradas com catupiry, salada de alface e suco de uva, abacaxi e gengibre para acompanhar.

SUCO DE ABACAXI, UVA E GENGIBRE
3 polpas de uva da Pomar
2 polpas de abacaxi da Pomar
1 l de água
1 colher (de chá)de gengibre fresco ralado
açúcar ou adoçante a gosto

Bata tudo no liquidificador e sirva imediatamente.


sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Ensopado de grão-de-bico e charque

Um pãozinho francês é o par ideal para este ensopadinho.

Olha ele aqui de novo. O grão-de-bico rende uma infinidade de receitas. Os ensopadinhos são os mais básicos, mas até suspiro - sim, aquele doce branquinho - você faz com a água do cozimento do grão-de-bico, mas essa é outra história.

Para o ensopado da vez usei charque, açafrão da terra, páprica e cebolinha, além de tomate e alho. Para acompanhar, servi com o pãozinho francês do lado e suco de uva da Pomar. O clima friozinho do sítio no interior fez conjunto com essa delicinha =}.

INGREDIENTES
2 xícaras de grão-de-bico cozido
2 tomates grandes picados
1 cebola pequena picada
300g de charque escaldada e bem picadinha
Quanto baste de azeite
1 colher de chá de açafrão da terra
1 colher de chá de páprica
Sal a gosto (talvez nem precise)
Pimenta moída na hora a gosto
1 xícara de de água fervente
1/2 xícara de cebolinha

PREPARO
Aqueça o azeite e refogue a carne e o alho até ficar bem douradinho. Acrescente a cebola e refogue mais um pouco. Sinta o perfume S2! Acrescente o tomate e os temperos, menos o sal, e refogue mais um pouco. Coloque o grão-de-bico, misture tudo. Despeje a água e deixe ferver. Prove para saber se será mesmo necessário o sal. Se quiser mais sequinho deixe fervendo mais um pouco. Finalize com a cebolinha picada.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Bolo de aniversário com pão-de-ló

Adoro o charme dos bolos de dois andares.
Revendo fotos no álbum do Facebook da Casa da Gabriela parei em um bolo que amei fazer e que, além de lindo, despertou o sorriso da minha amada Isadora no seu aniversário de 7 anos. O bolo tradicional dos aniversários da minha família sempre foi o de abacaxi com coco, mas minha mexerica ama a combinação chocolate branco/morango, e para mim a aniversariante tem sempre razão.

A massa leve do pão-de-ló aceita desde cremes consistentes, como o de confeiteiro e brigadeiros trufados, até geleias tenras e a maciez aerada do chantili. Dá para abusar da criatividade. Entretanto, um ponto a se considerar é nunca, nunca deixar de umidificar a massa antes de recheá-la, para que não fique seca e comprometa a textura final.

Outra dica para seu bolo render elogios é prepará-lo de um dia para o outro. Com o tempo a massa se impregna cada vez mais com o sabor da calda e do recheio. E, esforce-se, sirva gelado. Deixe a mesa posta com uma linda decoração, mas leve o bolo à mesa já em via de cantar os parabéns. Faz muita diferença! Só não esqueça de fotografá-lo antes de cortar rs!

PS.: E que tal providenciar embalagens descartáveis (tipo marmitinhas mesmo) personalizadas para os convidados levarem um pedacinho para casa? ;-)

MASSA
6 ovos em temperatura ambiente
9 a 11 colheres (sopa) de água
1,5 xícara (chá) de açúcar
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó
Quanto baste de baunilha (se conseguir a fava mesmo será perfeito)

Separe as claras da gema, bata em ponto de neve e reserve. Bata as gemas com a água. A quantidade de água depende do tamanho das gemas, se forem muito grandes use as 11 colheres. Do contrário, 9 colheres de água bastam. Quando a mistura dobrar de volume e ficar esbranquiçada, acrescente o açúcar aos poucos ainda com a batedeira ligada. Assim que a massa estiver homogênea, desligue a batedeira e despeje metade da farinha. Ligue em velocidade baixa para misturar. Desligue a batedeira e despeje o restante da farinha. Bata mais um pouco. Fora da batedeira, acrescente o fermento à massa e misture com uma espátula. Em seguida, envolva as claras em neve nessa mistura. Faça isso em três etapas, acrescentando por partes a clara em neve e misturando de baixo para cima, com delicadeza, para não perder a "fofura" das claras. Despeje numa forma média já untada e enfarinhada e leve ao fogo médio. Eu nunca lembro de marcar o tempo de forno. Mas observo a cor. Depois de 30 minutos você já pode abrir a porta para ver melhor [devagar e com as janelas da casa fechadas (!) para evitar que uma corrente fria entre no forno]. Muitas vezes nem faço o teste do palito, só de ver as bordas do bolo soltas da forma já sei que está pronto. Aprendi este truque há anos com minha tia Quita =}. Deixe esfriar antes de cortar.
{Se quiser fazer dois andares, faça uma receita e meia da massa e use uma forma média e outra pequena. O creme, a geleia e o chocolate são suficientes para os dois andares}

CREME DE BAUNILHA
1 l de leite
1 lata de leite condensado
4 colheres de amido de milho
2 gemas
Quanto baste de baunilha
1 lata de creme de leite

Dissolva o amido de milho em um pouco de leite. Tire a pele que envolve a gema furando com um palito, é ela que deixa aquele cheiro característico - e enjoado - de ovo. Misture o restante dos ingredientes numa panela, exceto o creme de leite, e leve ao fogo. Mexa sem parar até chegar à consistência de mingau grosso. Quanto mais tempo no fogo, mais consistente fica. Desligue e deixe amornar para, então, acrescentar o creme de leite. Leve à geladeira até a hora de usar.

GELEIA DE MORANGO
900g de morango higienizado (cerca de três caixinhas dessas que encontramos no mercado. Reserve 1/4 para a decoração)
150g de açúcar

Essa quantidade de açúcar pode ser alterada para agradar ao seu paladar. Há quem empregue os morangos frescos picados diretamente no creme. Funciona super bem! Mas se preferir fazer a geleia, leve ao fogo os morangos picados com o açúcar. Misture vez ou outra até adquirir a consistência desejada. Deixe esfriar completamente antes de usar.

CALDA
1 xícara (chá) de água
1 xícara (chá) de açúcar


Leve ao fogo até ferver. Deixe esfriar antes de usar.

COBERTURA
400g de chocolate branco

Derreta o chocolate no banho-maria ou no microondas quando o bolo já estiver todo montado.

MONTAGEM
Corte o bolo em três discos. Se achar que não cresceu o bastante, pode cortá-lo em apenas dois discos. Umedeça os discos com a calda durante a montagem de cada camada. A ordem é massa > creme > geleia > creme > massa. {Se estiver fazendo dois andares, coloque um pouco de creme sobre o bolo maior para grudar o bolo menor em cima. Espete dois ou três palitos de churrasco ou hashis no centro, de cima para baixo, nos dois andares para que não desmonte.} Despeje o chocolate derretido em fios sobre todo o bolo usando uma espátula ou uma colher. Observando as fotos dá para entender como foi feito. Decore com bastante morango inteiro. Leve à geladeira até o momento de servir. Ufa! Fica lindo e super gostoso!


Este eu fiz para o batizado do meu afilhado Abel <3

sábado, 27 de agosto de 2016

Carninha e brócolis para acompanhar o cuscuz

Finalizei com azeite =}
Já falei o quanto gosto de cuscuz por aqui. Com os mais variados acompanhamentos ou só com um queijinho frito já vale por uma refeição para mim. Preparei uma carninha com brócolis e tomate que ficou super combinativa (sic) com o teimosinho rs!

Uma dica para quem mora sozinho ou que faz pequenas refeições por vez - parece óbvia, mas a gente se esquece: congele pequenas porções de alimentos. É prático, rápido de descongelar e sem desperdícios. Eu usei um bife apenas. Os brócolis também estavam congelados, depois de cozidos no vapor.

Usei açafrão da terra, sal, alho, cebola e pimenta calabresa moída para temperar. Ficou bem gostoso. Essa mistura de especiarias e temperos fazem toda a diferença.

INGREDIENTES
150g de carne bovina picada em pedaços bem pequenos
150g de brócolis cozidos
2 tomates picados
1/2 cebola pequena picada
1 dente de alho picado
Quanto baste de azeite, açafrão da terra, pimenta moída na hora e sal

PREPARO
Tempere a carne com o sal, o açafrão, a pimenta e o alho. Deixe pegar gosto por uns dez minutinhos. Frite a carne no azeite até formar aquele fundinho escuro na panela. Acrescente a cebola, refogue, acrescente o tomate, abaixe o fogo e tampe. Se quiser com mais molho pode acrescentar um pouco de água fervente. Acerte o sal e pronto. Serve uma pessoa. Bom apetite!



terça-feira, 23 de agosto de 2016

Torre de legumes assados de segunda

Já no prato, jogo mais um fiozinho de azeite.
Normalmente, o fim de semana é quando a gente se permite um pouco mais na alimentação. Os horários não são regrados, bate aquela preguiça para cozinhar, as ocasiões em grupo pedem uma comidinha diferente, e aí quem mantém a disciplinar durante a semana acaba relaxando. Por isso acho essa receita excelente para uma segunda-feira: torre de legumes assados. Para o almoço ou para o jantar. Leve, gostoso e nutritivo.

INGREDIENTES
1 berinjela média, mas gordinha
1 abobrinha média, também gordinha
2 tomates largos
100g de queijo coalho pré-cozido
Sal e pimenta a gosto
Quanto baste de azeite

PREPARO
Corte os legumes e o tomate em fatias grossas. Tempere com o sal, a pimenta e o azeite e deixe descansar por meia hora. A berinjela separada, sobre uma peneira. Corte o queijo em dimensões que se aproximem das rodelas e um terço da espessura. Pré-aqueça o forno de médio para alto. Regue uma travessa com azeite e disponha uma fatia de abobrinha, em seguida a de berinjela, o tomate e o queijo. Eu faço mais uma sequência para ficar alto e finalizo com outra fatia de queijo e um tiquinho de pimenta calabresa moída na hora. Asso por pelo menos 20 minutos - no meu forno! -, é preciso acompanhar abrindo para ver o aspecto da textura. Ao apagar o fogo, aguarde uns minutinhos antes de retirar do forno. Regue com mais um fio de azeite ao servir. Pode acompanhar com ovos mexidos, ou uma carne grelhada. Eu fico bem satisfeita só com as torres. Suco de cajá da Pomar para brindar mais um ciclo recomeçado =}.


segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Moussaká sem carne

Aqui ela já estava morna, eu deixei ficar bem dourada.
Preparei uma moussaká sem carne para um almoço inspirado na culinária judaica. Um amigo preparou algumas receitas que sempre fizeram parte do dia a dia com sua família: charutos de folhas de uva com carne e arroz, homus e pão sírio - tudo mega delicioso.

Pensando em que eu poderia contribuir para a mesa, foi sugerida a moussaká, e eu adorei, pois era um prato que já havia testado com sucesso antes. Mas desta vez o fiz sem carne, pois já havia nos charutos. Ficou muito boa! E eu fiquei bem feliz até o domingo, quando almocei as divinas sobras de tudo que trouxe para casa =}.

INGREDIENTES
2 berinjelas grandes cortada em fatias
3 batatas grandes cozidas e cortadas em rodelas
6 tomates grandes sem pele e sem semente picados
1 cebola grande picada
2 dentes de alho picados
1 xícara de salsinha picada
Quanto baste de azeite para refogar o tomate e fritar as fatias de berinjela - ufa!
Sal e pimenta a gosto
1,5 l de leite
4 colheres das de sopa cheias de farinha de trigo
5 colheres das de sopa cheias de manteiga sem sal
1 colher de café de noz-moscada ralada na hora
100g de queijo parmesão ralado grosso
Quanto baste de sal

PREPARO
Tempere as fatias de berinjela com sal e pimenta e deixe-as descansando sobre uma peneira por uma hora. Reserve.

Molho de tomate
Refogue o alho no azeite, em seguida a cebola. Quando estiverem transparentes coloque o tomate e refogue até alcançar a textura desejada. Se for preciso acrescente água quente ou caldo de carne (só se for o feito em casa). Finalize com sal, pimenta e salsinha. Reserve.

Molho branco
Derreta a manteiga, frite a farinha. Acrescente o leite frio à massa formada de uma só vez. Mexa até ficar homogêneo e cozinhe por 15 minutos sempre mexendo. Se empelotar, pode bater no liquidificador um pouco do líquido com os gruminhos ou coar numa peneira e ficará tudo bem! Coloque metade do queijo e mexa até derreter tudo.

Montagem
Frite as fatias de berinjela dos dois lados, em um fio de azeite, uma a uma, ou duas a duas se a frigideira for grande. Antiaderente é melhor.
Forre com as batatas o fundo de uma travessa untada com azeite. Disponha fatias de berinjela na segunda camada. Regue com uma parte do molho de tomate. Faça mais uma camada de berinjela e outra de molho de tomate. Prossiga até ambos terminarem, mas cuide para a última camada ser de berinjela. Cubra com o molho branco e finalize com a outra metade do queijo ralado. Leve ao forno pré-aquecido até gratinar. Não tem como errar, estará borbulhando, e você escolhe o quanto gratinar, se prefere mais cremoso ou tostadinho. É muito gostoso. FAÇA! Sim, parece uma lasanha de berinjela (rs!).

domingo, 7 de agosto de 2016

Carne com legumes e macarrão

Fervendo

Ontem rolou a versão com carne bovina desse macarrão com legumes bastante fácil, versátil, nutritivo e gostoso. Acho couve-flor, fava, manjericão, ricota, linguiça artesanal ótimas opções de variação.

Novamente usei cenoura e abobrinha, que ainda tinha em casa, mas com molho inglês no lugar do shoyu e em menor quantidade. {Inventei uma pitada de canela na hora em que temperei a carne. Foi bem pouquinho, um toque sutil principalmente no cheiro - mais até que no paladar. Desnecessária.}

Um detalhe é que a carne precisa ser cortada em pedaços bem menores que o frango. Usei coxão mole, mas acredito que haja um corte mais adequado.

NA RECEITA, basta substituir o frango pela carne, o shoyu pelo molho inglês.



terça-feira, 2 de agosto de 2016

Arroz doce integral

Ganhamos dois litros de leite integral vindos diretamente da fazenda de uma tia do meu marido. Pensei logo em fazer uma receita que já há algum tempo queria testar: arroz doce com arroz integral. Para ficar ainda mais "natural" usei açúcar mascavo. A canela em pau é imprescindível. O trabalho é só ter paciência.

Adorei o resultado. Para quem gosta de mais cremosidade, aconselho usar uma caixinha de creme de leite no final do cozimento, já com o fogo desligado.

INGREDIENTES
1 1/2 xíc. (chá) de arroz integral
5 xíc. (chá) de água
1,5 l de leite integral
1 1/2 xíc (chá) de açúcar mascavo
1 pedaço de canela em pau
1 pitada de sal


PREPARO
Lave e escorra o arroz. Leve ao fogo com a água e deixe cozinhar até secar - cuidado para não secar demais e queimar. Acrescente o leite em temperatura ambiente, o açúcar mascavo, o sal e a canela em pau. Deixe ferver e vá mexendo de tempos em tempos. Atenção para o momento em que começar a ficar cremoso. Quem dá o ponto é você =}. O que eu fiz ficou mais sequinho. Finalizei com canela em pó. Amei. Farei sempre!


domingo, 31 de julho de 2016

Frango com legumes e macarrão


Era pra ser um yakisoba. Isadora me pediu para o almoço. Já tinha abobrinha, cenoura, tomate, cebola, gengibre e shoyu em casa. Parei na mercearia - tenho fugido dos supermercados por causa do preço e do capitalismo selvagem -, comprei macarrão e peito de frango.

AO TODO, OS INGREDIENTES:
300g de peito de frango cortado em cubos
1 xíc. (chá) de abobrinha
1 xíc. (chá) de cenoura
2 xíc. (chá) de tomate
1 cebola pequena
2 dentes de alho grandes
1 col. (chá) de gengibre ralado
1 limão
molho shoyu, sal e pimenta a gosto
8 ninhos de talharim para serem cozidos em água abundante e sal

O PREPARO:
O frango é temperado algum tempo antes com alho, limão, sal e pimenta. É importante cortar os legumes e o frango do mesmo tamanho. Aqueça a água para cozinhar o macarrão enquanto corta os legumes. Refogue os pedaços de frango numa frigideira de fundo grosso, no azeite. Deixe dourar e acrescente a cebola, refogue; metade dos tomates, refogue; a cenoura, refogue; a abobrinha, refogue; o gengibre e o restante do tomate, refogue. Acrescente o shoyu, uma xícara da água em que o macarrão está cozinhando e deixe ferver. Acerte o sal com sal ou shoyu mesmo. Escorra o macarrão ainda ao dente e pare o cozimento com água fria. Acrescente o macarrão soltinho na frigideira já desligada. Envolva tudo. Fica bem colorido =}.

   

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Tabule com molho de alho, pepino e iogurte

Faltou salsinha e hortelã, mesmo assim ficou bem bom.

Continuo tentando consumir menos carne, glúten e lactose, então nada de pão com manteiga, requeijão ou queijo no café da noite. Preparei um tabule acompanhado de um molho bem marcante de pepino com alho e iogurte sem lactose. Faltou o pão sírio para completar a textura.

Tenho mantido sempre na despensa o trigo para quibe desde que preparei um vegetariano - que levava queijo - no forno. {Essa frase ficou estranha rs!}. O preparo é fácil e você pode variar alguns sabores, assim como no tabule.

Faltaram as ervas frescas. Ficou bem gostoso e me saciou, mas com salsinha e hortelã teria ficado ainda melhor. 

Achei essa receita no site da Lucilia Diniz, com indicação de ingredientes e até um vídeo do preparo. Uma boa fonte de receitas saudáveis, práticas e saborosas.

sábado, 23 de julho de 2016

Grão-de-bico com alho e tomate



Finalmente cozinhei grão-de-bico em casa. Gosto bastante, mas como minhas panelas de pressão estão com as tampas sem funcionar acabo não cozinhando nada que precise de muito tempo sem elas. Nota mental: mandar consertar as tampas das panelas de pressão!

Normalmente comprava o grão-de-bico já cozido no supermercado, mas é bastante caro. Resolvi usar minhas panelas normais para cozinhar o bendito grão. Na verdade não são tão normais. É um tipo de panela feita com vários metais que cozinha os alimentos mesmo depois que o fogo é desligado. A tampa e a panela se vedam com o vapor, mesmo sem nenhuma trava. Mas não consegui cozinhar totalmente assim. Tive que voltar ao fogo por mais alguns minutos.

Esta semana acabei pegando uma virose do meu marido e queria uma comida quentinha e com bastante alho para fortalecer meu organismo. O grão-de-bico foi uma excelente escolha pois fornece energia ao corpo. Também me vali do tomate, que contém agentes anti-inflamatórios. Só faltou a salsinha, que também possui propriedades anti-inflamatórias e combina com tudo.


INGREDIENTES
200g de grão-de-bico cozido
2 tomates grandes cortados em cubo
5 dentes de alho grandes
2 colheres (sopa) de azeite
Sal e pimenta moída na hora a gosto
Ervas secas ou salsinha fresca a gosto
1 a 2 xícaras (chá) da água do cozimento do grão-de-bico

PREPARO
Doure o alho picado no azeite. Acrescente os tomates e refogue. Adicione o grão-de-bico, refogue mais um pouco e coloque 1 xícara da água em que o grão-de-bico foi cozido. Se o grão estiver bem cozido você não precisará acrescentar mais água. Deixe ferver. Tempere com sal e pimenta. Por último, acrescente a salsinha picada e em seguida desligue o fogo.

Isto é o que eu chamo de comfort food =}.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Bolo de gelatina

A textura muda um pouco por causa da gelatina.

Para dar as boas-vindas à minha filha mais velha, preparei este bolo de gelatina de morango. Uso o pozinho da gelatina direto na massa do bolo. Um forma simples de fazer um bolo diferente.

{Uma boa sugestão para um aniversário de criança é fazer cada camada de bolo de uma gelatina de cor diferente, rechear e cobrir com o chantili branquinho.}

Para a cobertura usei chocolate branco, que ela adora!

INGREDIENTES
3 ovos
1/3 de xíc. (chá) de óleo
1 xíc. (chá) de leite
2 xíc. (chá) de farinha de trigo
1 xíc. (chá) de açúcar cristal
2 envelopes/caixas de gelatina de morango
1 colher (sopa) de fermento químico

PREPARO NO LIQUIDIFICADOR
Peneire os ingredientes secos. Junte aos liquidos, que devem ser colocados primeiro no liquidificador. Bata bem até ficar homogêneo. Despeje numa forma de furo no meio untada e enfarinhada. Forno médio por cerca de 40 minutos, vai depender do seu equiamento.

PARA A CALDA
150g de chocolate branco - a barra está cada vez menor e mais cara..
75g de creme de leite
Mesmo processo que serve para a ganache de chocolate ao leite. Aqueça o creme de leite, quando iniciar fervura apague a chama e junte o chocolate picadinho. Mexa sem parar até ficar homogêneo. Despeje a calda morna sobre o bolo.

Bem-vinda, lindona!

sábado, 16 de julho de 2016

Flã de fruta

A calda de goiabada cascão completa perfeitamente o flã

Esta é uma receita que você pode fazer com as mais variadas frutas. E o melhor, não precisa ser in natura, pode usar a polpa que você compra congelada, desde que seja de boa qualidade, claro! Eu só uso Pomar S2.

Para ser flã de verdade, tem que ser servido com uma calda {tá lá no dicionário}. Eu gosto de combinar os sabores. Usei polpa de goiaba e fiz a calda de goiabada cascão. Ficou maravilhoso!! A parte gelatinosa não fica muito doce, a calda é quem complementa o sabor. Vou repetir: ficou maravilhoso!

INGREDIENTES
395g de leite condensado
200g de creme de leite
400g de polpa de goiaba
2 colheres (sopa) de suco do limão
2 envelopes de gelatina sem sabor + 10 colheres (sopa) de água
{calda}300g de goiabada cascão
{calda}20 colheres (sopa) de água
 
PREPARO SUPER FÁCIL
Se estiver utilizando a polpa congelada, deixe-a em temperatura ambiente por alguns minutos para que derreta e amoleça. Prepare a gelatina conforme as instruções da embalagem (hidratando com as 10 colheres de água e levando ao banho-maria ou ao micro-ondas). Então, bata no liquidificador a polpa, o leite condensado, o creme de leite e o suco de limão até ficar homogêneo. Acrescente a gelatina já derretida e bata mais para que a gelatina seja completamente incorporada à mistura. Distribua em tacinhas e – a parte mais difícil – leve à geladeira por pelo menos 4 horas. 

CALDA
Corte a goiabada em pedaços pequenos e coloque numa tigela junto com a água para derreter no micro-ondas (eu aqueci de 20 em 20 segundos, ao todo foram dois minutos). Se preferir leve ao fogo baixo mexendo até derreter a goiabada. Se quiser mais fluida pode colocar mais água aos poucos. Deixe esfriar antes de usar. Coloque sobre o creme de fruta já solidificado. Delicie-se!

Mistura de texturas

domingo, 10 de julho de 2016

Bolo de banana sem farinha


A consistência ficou ótima, a farinha não faz falta
Há algum tempo tenho pensado em receitas sem farinha de trigo. Nem é por causa do glúten, que tem sido cortado da dieta de muita gente. Mas porque meu marido tem a taxa de açúcar elevada e evita alimentos com farinha de trigo e açúcar. Acabo nunca levando adiante o que pesquiso pois as opções nem sempre são fáceis de encontrar ou encarecem demais o preparo.

Ontem, ao procurar uma receita de bolo de banana, encontrei algumas que utilizavam aveia no lugar da farinha. E aveia aqui em casa nunca falta. Uso em várias comidas, tortas salgadas, bolos, biscoitos e até no cuscuz. Ela é boa para a digestão, diminuição do colesterol e controle da glicemia. Mas nunca tinha pensado em substituir a farinha completamente pela aveia. Na verdade, não fiz isso nem desta vez. Usei aveia + amido de milho.

O bolo ficou fofo e bem gostoso. Bom para acompanhar um café. 

Ingredientes
2 ovos
4 bananas
1 xícara (chá) de açúcar mascavo
1/4 de xícara (chá) de óleo
1 e 1/2 xícara (chá) de aveia em flocos finos (só tinha aveia em flocos, então passei no liquidificador bem seco e ficou igualzinha)
1/2 xícara (chá) de amido de milho
1 colher bem cheia (chá) de canela em pó
1 colher (sopa) de fermento químico

Modo de Preparo
Acenda o forno em temperatura média. Unte uma forma de bolo inglês com margarina e farinha ou aveia. Pique ou corte em fatias duas das bananas e disponha no fundo da forma. No liquidificador, bata os ovos, o óleo, as duas bananas restantes, a canela e o açúcar. Numa tigela coloque a aveia e o amido de milho, acrescente a mistura do liquidificador e mexa com uma espátula até ficar homogêneo. Incorpore o fermento. Despeje na forma sobre as bananas e leve ao forno por cerca de 30 minutos (fique de olho, esse tempo pode variar de forno para forno). Faça o teste do palito. Depois de espetado no bolo ele deve sair sequinho de lá.


Imagine o perfume que ficou na casa....

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Couscous marroquino com frango ao sugo




Hoje é feriado aqui em Sergipe, Emancipação Política, assinada pelo rei do Brasil e de Portugal Dom João VI em 1820. Estou de folga e empolgada =}. Decidi prepara couscous marroquino para o almoço, é uma delícia, leve e rapidinho de fazer. O frango também foi bem prático de preparar. Usei basicamente tomates pelados em lata e azeitona. Esta refeição serve duas pessoas.
 
Ao todo, você vai precisar de:
2 filés de peito de frango
1 lata de tomate pelado
3 dentes de alho picados
1 limão
1 copo de couscous marroquino
2 copos de água
Sal
Pimenta do reino
Azeitona
1 colher bem cheia (sopa) de cebola picada
Cebolinha
Folhas frescas de manjericão
Azeite

Preparo do frango:
Corte os filés em dois pedaços cada para ficarem mais finos. Tempere com o alho picado, sal, pimenta do reino moída na hora e o suco do limão. Deixe descansar na geladeira por pelo menos uma hora. Frite os pedaços numa frigideira grossa com azeite. Deixe dourar dos dois lados. Não mexa muito. 

Enquanto frita o frango, acenda o forno em temperatura média. Numa travessa, coloque duas colheres (sopa) de azeite, algumas azeitonas e os tomates pelados cortados em pedaços menores e tempere com sal. Depois que dourar o frango, retire-o da frigideira e disponha sobre o molho na travessa. Escorra os pedacinhos de alho frito da frigideira e coloque sobre os pedaçosLeve ao forno sem tampar por 25 minutos.

Preparei o couscous seguindo as instruções do fabricante:
Leve o couscous ao fogo numa panela com uma colher de azeite e ao mesmo tempo aqueça um copo de água noutra panela. Mexa o couscous. Quando a água ferver, retire o couscous do fogo e despeje a água sobre ele. Mexa mais uma vez e deixe descansar tampado por alguns minutos. Após este tempo solte o couscous com um garfo e acrescente a cebola e a cebolinha picadas e as folhas de manjericão (pode usar a erva que desejar). Sirva o frango sobre o couscous e aproveite!

{Ah, o suco de hoje foi da Pomar (claro!) de umbu com couve. Bati no liquidificador quatro polpas de umbu de 100g , 800ml de água gelada, três folhas grandes de couve e adoçante. Servi depois de coar. Ficou bem gostoso. Experimente!}

Coringas para ter sempre na despensa
A neném também comeu e aprovou

Molho tártaro

 
Use como entrada num almoço da família


Este é um molho bem fácil de fazer e que pode acompanhar uma variedade de petiscos e bases. Um fator importante é a qualidade do picles, não use aquele que a gente come fazendo careta. O pepino e a cenoura dão o colorido característico do molho tártaro. Neste caso a azeitona recheada também ajudou. Se quiser pode acrescentar salsinha e cebolinha picadinhas.

Empanados e iscas de frango, camarão e peixe são, para mim, a opção mais gostosa de acompanhamento. Num hambúrguer, ou em qualquer outro sanduíche, e em canapés também cai super bem. Aqui eu combinei com torradas.

Usei pão francês integral, que eu congelei para não desperdiçar há uns dias. Fica mais fácil de cortar. Não usei manteiga nem margarina, preferi azeite e fatiei bem fininho.

Para o molho tártaro:
50g de creme de leite
2 colheres (sopa) rasas de maionese
Suco de meio limão (pode ser de garrafinha)
Sal
Picles (cenoura, pepino, nabo em conserva)
Azeitonas recheadas
Pedaço pequeno de cebola

Preparo:
Pique em cubos bem pequenininhos a cebola, os picles e as azeitonas. Calcule partes iguais de cada ingrediente lembrando que a quantidade final vai interferir na consistência do molho. Numa tigela pequena, junte o limão ao creme de leite e bata rapidamente com um garfo. Acrescente a maionese e bata mais um pouco até ficar homogêneo. Se quiser mais fluido coloque mais creme de leite. Envolva os vegetais nesse molho. Acerte o sal. Leve à geladeira por pelo menos 15 minutos antes de usar. Sirva sobre a base - torradas, bolachas -, como recheios nos sanduíches ou numa tigelinha para mergulhar o acompanhamento.

O acompanhamento de hoje foi suco de goiaba da Pomar

Postagens populares